Início » Presidente da OAB Alagoas palestra sobre o combate à corrupção durante a 3ª Conferência Estadual de Advocacia da OAB Roraima

Presidente da OAB Alagoas palestra sobre o combate à corrupção durante a 3ª Conferência Estadual de Advocacia da OAB Roraima

“A corrupção é uma questão de imoralidade, são condutas que contrariam a lei. E a falta de preocupação e ação do povo brasileiro quanto a essa situação é preocupante”. A afirmação é da advogada e jurista Fernanda Marinela. Na presidência da Seccional de Alagoas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AL), a profissional esteve na 3ª Conferência Estadual de Advocacia da OAB Roraima, onde ministrou uma palestra sobre as ferramentas de controle da corrupção e consequências à sociedade. Segundo Fernanda Marinela, a corrupção é uma questão de imoralidade, são condutas que contrariam a lei. “A corrupção é antiga na sociedade, o pecado cometido no jardim do Éden é considerado o primeiro ato de corrupção. No dia-a-dia muitos praticam pequenos atos de corrupção e nem se dão conta disso, encaram como algo normal e muitas vezes a corrupção na política também é vista como algo banal e a falta de preocupação e ação do povo brasileiro quanto a essa situação é preocupante”, afirmou. Hoje, existem diversas formas de combate à corrupção como a Lei de Improbidade Administrativa, Lei Anticorrupção e a principal delas, a Constituição Federal. “O que nós precisamos na verdade é que essas leis saiam do papel, que elas sejam efetivadas e cumpridas na sua plenitude, para que as autoridades que praticam esse tipo de conduta sejam responsabilizadas”, disse a jurista. Ela afirmou ainda que a corrupção não tem uma causa única, são diversos os fatores, porém, as consequências são diversas. “Sempre afirmo que corrupção mata e o povo brasileiro precisa ter consciência disso. Basta lembrar a corrupção na saúde, isso deixa a população sem medicamento, sem assistência médica, sem atendimento, então o povo morre. Na segurança pública, vivemos uma triste realidade, onde somos prisioneiros em nossas próprias casas. Afinal de contas, a falta de segurança traz mais homicídios, mais violência e insegurança para a população”, afirmou. A jurista foi enfática ao afirmar que a falta de cultura cívica da população faz com que os índices de corrupção sejam elevados. “A população precisa acordar, perceber a corrupção e combater. A população precisa se apropriar dos seus bens, dos seus direitos, do patrimônio público que lhes pertence e a melhor forma de fazer isso é votando corretamente. Com essa cultura, com essa consciência, a corrupção com certeza vai ser combatida com mais incidência”, declarou. Fernanda Marinela ainda ressaltou que a maior ferramenta de mudança ao alcance da população é o voto. “Temos a chance de mudança no próximo ano, com as eleições. Cada vez que um corrupto é reeleito, ele aumenta a sua rede de corrupção e de atos ilegais. Isso é fundamental, escolher bem é indispensável. Esse trabalho de conscientização da população brasileira é indispensável”, destacou. **Fonte: Assessoria OAB/RR**