Início » OAB Alagoas e Caixa de Assistência apresentam demandas da advocacia à Comissão de Inspeção do Conselho Nacional de Justiça

OAB Alagoas e Caixa de Assistência apresentam demandas da advocacia à Comissão de Inspeção do Conselho Nacional de Justiça

Diretores da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Alagoas (OAB/AL) e da Caixa de Assistência dos Advogados (CAA/AL) estiveram reunidos, na manhã desta quarta-feira (09) com a equipe da Comissão de Inspeção da Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Os integrantes da CNJ estão em Alagoas até a próxima sexta-feira (11) para realizar uma inspeção da Corte Estadual. A reunião contou com a presença da presidente da Seccional Alagoana, Fernanda Marinela, do vice-presidente Ednaldo Maiorano, da Diretora Tesoureira, Thaisa Gameleira, e do presidente da Caixa de Assistência, Nivaldo Barbosa Junior. A Comissão é coordenada pelo desembargador Alexandre Victor de Carvalho, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Durante o encontro, os representantes da Ordem repassaram ao coordenador algumas demandas da advocacia, problemas que refletem no andamento de processos em Alagoas seja na capital ou no interior. A presidente da OAB Alagoas também se colocou à disposição do CNJ, ao tempo em que reconheceu grandes avanços do Judiciário na atual gestão. “Nosso objetivo, sempre, é de contribuir com o fortalecimento da classe e sempre estamos contribuindo na construção de ideias que visem melhorias, na capital e no interior. Cobramos muitas ações do Tribunal que vem encontrando soluções para problemas antigos. Pleiteamos a nomeação de magistrados em 1ª Entrância no interior e fomos atendidos com a realização do concurso do TJ, um sonho da advocacia do estado. Atualmente, comarcas que não tinham juízes há mais de dez anos foram atendidas com o concurso. Hoje a gente vê efetivamente a prestação da Justiça no interior, no Sertão do estado. Pleiteamos a nomeação de mais servidores, que é uma carência em nosso estado. A realidade vem mudando em Alagoas, estamos avançando bastante, mas esse ainda é um longo caminho”, colocou Fernanda Marinela. Antes da reunião, a comitiva do CNJ foi recepcionada pelo presidente do TJAL, Otávio Leão Praxedes, em seu gabinete e ratificou sua tranquilidade quanto ao procedimento, que faz parte da rotina do Conselho. “O que tenho feito à frente do Tribunal de Justiça é um trabalho de transparência, sempre procurando fazer o que é correto e de boa fé. Respeito muito o CNJ, já no quarto mês de gestão, fiz um ofício ao Corregedor Nacional pedindo uma inspeção, para nos dar segurança e orientação, para que a Presidência possa percorrer o melhor caminho”, disse Otávio Praxedes. A equipe ressaltou que o objetivo é orientar quanto às deficiências locais, mas também identificar boas práticas que possam ser replicadas. “A Corregedoria Nacional de Justiça tem feito inspeções em todos os tribunais brasileiros, porque a Constituição Federal impõe. Os principais pontos, no caso dos gabinetes, são o cumprimento dos prazos processuais e a regularidade do serviço judiciário; e no caso da parte administrativa, é verificar se a leis estão sendo cumpridas e se está tudo dentro daquilo que as resoluções do CNJ exigem”, explicou Alexandre de Carvalho. Para apoio dos trabalhos, o TJ disponibilizou uma sala no terceiro andar da sede do Tribunal, no Centro de Maceió, onde o CNJ também está aberto para receber demandas de qualquer cidadão. O atual corregedor nacional de Justiça é o ministro João Otávio de Noronha, do Superior Tribunal de Justiça. **Com informações do TJ/AL**